Nesta semana, astrônomos deram um passo importante para a ciência. Com a ajuda de um poderoso super telescópio eles registraram o seria o mais completo mapa da Via Láctea.

A equipe composta por vários astrônomos, de diferente países mapearam as imensas nuvens de gases densos e frios, que são responsáveis pelas formações de estrelas. Para tal feito, os cientistas usaram o telescópio Apex, localizado no Chile, a uma altitude de 5.100 m, que conseguiu ampliar em quase quatro vezes os “retratos” existentes da Via Láctea.

O telescópio ”fez uma limpa” no céu do hemisfério sul, utilizando radiação com frequência intermediária, variando ondas de rádio e infravermelhas. Assim, acoplado ao instrumento estava um termômetro ligado a mais de 300 sensores, que foram mantidos a uma temperatura próxima ao zero absoluto (-273 graus Celsius), assim, ajudando a detectar variações de temperatura no céu.

Para você ter ideia, o Apex tem cerca de 12 metros de comprimento e opera no Planalto de Chajnantor há exatos 10 anos. O novo mapa ganhou o nome de Atlasgal, e conta com mais de 70 trabalhos científicos e desde 2009 que os dados são divulgados. E esse mapeamento completa outros dados do hemisfério norte, formando assim o maior e mais preciso mapa da Via Láctea.

A junção das imagens tem três diferentes camadas e foram superpostas em uma imagem completa e que pode ser baixada no site da European Southern Observatory (ESO).

Para baixar as imagens (algumas com mais de 200 MB) é só clicar aqui, e no canto direito tem as opções de imagens para você escolher, e depois o tamanho de cada uma.

Nas imagens, os dados obtidos pelo ATLASGAL estão em vermelho mais escuro, os do PLANCK em vermelho mais claro e os do SPITZER em azul.

“O Atlasgal nos permitiu observar de uma forma nova a densidade interestelar de nossa galáxia”, diz Leonardo Testi, um dos astrônomos do European Southern Observatory (ESO). “Esse novo mapeamento abre a possibilidade de estudarmos os dados para novas descobertas”.

Caso você queira assistir a um vídeo com imagens, nós deixamos aqui.

Vídeo mostra detalhes da Via Láctea

Fonte