Cientistas realizam primeiro transplante de cabeça “bem-sucedido” em ratos

O famoso neurocientista italiano Sergio Canavero, em 2015, gerou uma grande polêmica no mundo inteiro ao afirmar que, em dois anos, seria possível realizar transplantes de cabeça ou de corpo inteiro, de modo que as pessoas com tetraplegia, câncer ou outros problemas graves poderiam substituir seu corpo adoecido por um saudável.

Nesse sentido, e ao lado de Xiaoping Ren e sua equipe de cientistas chineses, Canavero realizou o primeiro transplante bem-sucedido de cabeça em um rato. A cirurgia consistiu em unir a cabeça de um pequeno rato a outra de maior tamanho, mantendo a atividade cerebral do doador e utilizando um terceiro espécime para deixar estável a pressão sanguínea dos dois primeiros.

O experimento foi repetido em vários ratos, e embora nenhum deles tenha conseguido sobreviver por mais 36 horas, os cientistas o consideram bem-sucedido, já que conseguiram evitar uma perda grande de sangue nos animais – o que se mostrou crucial para um futuro transplante de cabeça em humanos.

O neurocientista italiano afirma que haverá condições de realizar esse procedimento em humanos dentro de 10 meses.