Cientistas implantam GIF animado em uma bactéria

Sim, eles conseguiram introjetar a imagem acima em uma sequência genética!

Era 1887 quando o mundo viu nascer “Muybridge, o cavalo em movimento”, uma das primeiras animações da história, precursora do cinema no século XIX. Agora, 130 anos depois, a animação volta a fazer história, sendo o primeiro GIF animado armazenado no DNA de uma célula viva.

Um estudo publicado na revista Nature relata o sucesso alcançado por uma equipe da Universidade de Harvard, que conseguiu armazenar uma animação no DNA de bactérias fecais. Para isso, os especialistas usaram moléculas de DNA como suporte informático para codificar a sequência, que mais tarde conseguiram recuperar.

Cada um dos pixels que compõem o GIF foi transferido a nucleotídeos, algo como os uns e zeros do código binário digital, por meio de um sistema de codificação chamado CRISPR-Cas, mais conhecido como “bisturi molecular”.

Para recuperar as informações, ou seja, transformar os dados alojados no DNA em código binário, os cientistas apenas precisaram sequenciar o genoma da bactéria. A animação pôde ser reconstruída com uma precisão de 90%, segundo o artigo.

FONTE