Nas últimas semanas, pesquisadores do mundo todo estavam literalmente perdidos com uma misteriosas luz de uma estrela, localizada nas profundezas do universo. Que tomou conta da internet e ficou conhecida como a Megaestrutura alienígena. Porém, não foi nada o que pensávamos.

O instituto SETI (Instituto que busca por inteligencia extraterrestre) registrou no sistema solar KIC 8462852 interferências na leitura dos relatórios que recebem. Para que possamos entender um pouco mais sobre os relatórios recebidos, as ondas de lizes vem uniforme e constante, se fossemos utilizar uma linha ela seria continua e infinita, porém, em alguns dias, o que era uma linha continua começou a apresentar ”falhas” e picos negativos, o que representaria interferências.

Intrigados com os registros do sistema KIC 8462852, e usando dados do Telescópio Espacial Spitzer da NASA, puderam então resolver o mistério, encontrando provas que as interferências foram realizadas por um enxame de cometas. O estudo, liderado por Massimo Marengo de Iowa State University, Ames, foi aceito para publicação na Astrophysical Journal Letters.

No entanto, de acordo com Marengo, mais observações são necessárias para ajudar a resolver o caso de KIC 8462852. “Esta é uma estrela muito estranha e vamos ficar de olho”, disse ele.

Entenda como são feitas as leituras das luzes;

luzes_1 luzes_2 luzes_3

KIC 8462852, localizada 1.480 anos-luz de distância, foi monitorado pelo Telescópio Espacial Kepler por mais de quatro anos, com início em 2009. E como um planeta ou cometas passam em frente da luz de uma estrela, faz com que a luz escureça e volte, como um farol, e Kepler pode capturado essas inconstâncias.

Loading...