Uma nova pesquisa está fazendo o caos na comunidade que busca evidencias do tecido do enterro de Jesus Cristo. Um grupo de pesquisadores encontrou evidencias de DNA de plantas que são encontradas por todo o planeta Terra.

Segundo os pesquisadores italianos, as principais conclusões da analise de DNA extraído de partículas de pó aspirado da imagem e também nas bordas são usados para a datação através de rádio carbono. O Dr. Gianni Barcaccia está a frente dessa nova pesquisa, ele é professor de genética de plantas na Universidade de Padova, e está escrevendo um trabalho com outros colegas sobre esses resultados.

Após a analise de sequencias de DNA do tecido, com pólen e poeiras, os pesquisadores encontraram vários grupos de plantas nativas da região do Mediterrâneo, que também estão em locais como Ásia, Oriente Médio, América do Norte e um canto da América do Sul. Esses materiais devem ter se separado quando o mundo ainda era somente um continente, porém com viagens, posteriormente na era medieval viajando de cantos em cantos através de carregamentos.

E o que os pesquisadores descobriram, foi publicado na revista Scientific Reports, em 5 de outubro que indicam que o tecido foi fabricado na Índia, levado até o mediterrâneo e posteriormente transportado para Turim.

No ano de 1998 foi revelado que testes de carbono-14 indicaram que as fibras do tecido datavam 1260 até 1390, pouco mais de mil anos após a crucificação. Porém, um estudo de 2005 realizado por um laboratório químico ( Laboratório Nacional Los Alamos) negou as datas, argumentando que o tecido analisado era outro, que representava dos períodos medievais. O laboratório enfim, datou que o Sudário de Turim era de uma data de 1.300 a 3.000 anos. Ficaremos atendo e esperando mais pesquisas que comprovam a tese publicada na revista em Outubro desse ano.

 

Fonte: Aqui.
Loading...