Cientistas confirmam a teoria de Einstein das ondas gravitacionais

Albert Einstein previu a existência de ondas gravitacionais há um século, e até então os cientistas estavam em busca de confirmar essa teoria.

Para entender sobre o assunto, você precisa se familiarizar com as iniciais LIGO, observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser ou se preferir Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory que representa o equipamento que os cientistas trabalham há semanas para confirmar a primeira detecção de uma onda gravitacional.

O que são ondas gravitacionais?

São as vibrações no universo criado por algum evento cósmico energético, que vai desde a explosão de estrelas até a fusão de buracos negros supermassivos. Existe também a distorção do espaço-tempo, formando ondas gravitacionais geradas por corpos de grande massa em aceleração. E conforme as ondas avançam, fazem pequenos tremores em átomos de matéria. Interessante que Albert Einstein fez uma previsão na teoria geral da relatividade, de 1916. Porém, LIGO só ficou pronto em 2002, podendo assim começar a caçar as ondas gravitacionais.

Um exemplo da distorção gerada por corpos de grande massa em aceleração.
giphy

A primeira geração de experimentos do LIGO durou quase oito anos, e o equipamento não era sensível o bastante para detectar essas ondas, já que as ondas gravitacionais são minúsculas: pra você ter ideia, um tremor atômico que passa pelo nosso planeta quando dois buracos negros colidem há milhões de anos luz são um bilionésimo de um bilionésimo do diâmetro de um átomo. É algo extremamente pequeno.

O aparelho LIGO  utiliza lasers de alta potência para caçar pequenas mudanças entre dois objetos posicionados a milhares de quilômetros de distância.Entre a busca, centenas de milhares de objetos atrapalham a caça, desde um trem passando, ou até mesmo um terremoto em nosso planeta, e ainda pra ficar mais difícil, qualquer objeto com temperatura acima de zero absoluto tem vibração. Então praticamente tudo atrapalha a busca por essas minúsculas partículas.

Com atualizações constantes para a melhoria, LIGO voltou a funcionar em 2015, e veio em uma atualização mais potente e ums sistema de isolamento de vibrações do solo, tendo assim a possibilidade de detectar a primeira onda gravitacional. Depois de muita euforia e um certo segredo por alguns meses até o estudo ser aceito pela Physical Review Letters. Deixaremos o link do estudo aqui.

Após o ok da publicação, os cientistas e pesquisadores já estavam sabendo pelo mundo todo sobre a notícia, que nós meros mortais soubemos somente no dia 11/02/2016. E por que precisamos ficar euforicos e contente com isso? Simples. Essa descoberta faz da teoria da relatividade ir muito além, abrindo novas fases na exploração do cosmos, podendo utilizar as ondas gravitacionais para observar objetos misteriosos como estrelas de nêutrons e também buracos negros.

Em entrevista, o astrofísico do MIT Scott Hughes disse, ”Existe muita informação rica nas ondas gravitacionais, podendo verificar através das ondulações o movimento e tamanho do objeto que a produziu, penso eu que isso mudará tudo daqui pra frente”.

Fonte

 

Loading...