Carmathen, a pequena capital do condado de Carmarthenshire, País de Gales, é famosa por ser um dos lugares mais associados às lendas sobre o Rei Artur. As histórias sobre a mítica espada Excalibur tem agora outro mistério mais recente, o de uma espada oriental que acaba de aparecer no fundo do rio Towy. A relíquia ficou presa nas redes de um pescador local, que a resgatou do barro em um invejável estado de conservação. A curiosidade do achado é que não é uma espada criada no Reino Unido. Seu desenho é similar ao de kris, uma adaga de folha ondulada e cabo curvo típica de Malásia, Indonésia, Sumatra e outros povos do Pacífico.

Esta peça em particular tem a lâmina reta e um comprimento que a converte mais em uma espada do que em uma adaga. Este detalhe já confirma que se trata de um dos desenhos de kris mais antigos, provavelmente avaliado em milhares de dólares.

As primeiras análises por parte dos conservadores do Museu de Carmathen apontam a que o arma data do Século XVIII. O fato de que tenha ficado enterrada a certa profundidade no barro permitiu que sobrevivesse mais de 200 anos sem mais defeitos que uma visível oxidação na lâmina. A empunhadura de osso e cobre está praticamente intacta.

A grande pergunta é como uma espada oriental acabou no fundo do rio. Há séculos Carmathen é um porto muito ativo, de modo que é perfeitamente possível que um viajante a perdesse acidentalmente. Contudo, os historiadores cogitam uma hipótese mais macabra, que alguém tenha jogado a arma no rio após ter perpetrado um assassinato com ela.

Uma terceira opção pode ser uma mera superstição. Nas ilhas do Pacífico de onde originou, as kris são consideradas talismãs espirituais com supostos poderes mágicos capazes de proporcionar boa ou má sorte a seu portador. A espada foi devolvida a seu portador no grêmio de pescadores de Carmanthen.

Loading...