Segundo um testamento do rei Salomão, que segue a tradição, teria chego nos dias de hoje com uma sucessão de rabinos, tratando de um poderoso feitiço do qual Hitler foi atrás e lutava por todo o custo.

De acordo com a crença, Salomão tinha um conhecimento muito além sobre ciências espirituais do que qualquer um, e através de seu filho, Roboão, e por uma sucessão de importantes rabinos, ele conseguiu alcançar seu legado sob o nome de “Clavículas de Salomão” ou “A Chave de Salomão”.

Toda essa tradição conta que houve um livro, feito de casca de cedro, qual cada um dos pentagramas foi gravado em caracteres hebreus, sobre placas de cobre. E esse livro, é considerado o mais procurado pelos ocultistas em todos os tempos.

Mas o que é? E o que tem em seu conteúdo?

A Chave de Salomão (também chamado de “As clavículas de Salomão”) é um Grimório cujo autor seria supostamente próprio rei Salomão. O livro mostra magias que exigem vários objetos, materiais e condições muito específicas, muito difícil de construir, e talismãs capazes de proporcionar grandes benefícios aos seus portadores, rituais complexos para o amor, dinheiro, sorte, poder, ou mesmo coisas estranhas como a invisibilidade e, acima de todos os selos para invocar os anjos e demônios.

Durante séculos este tem sido um trabalho de referência no campo do ocultismo, um livro que tem suscitado muitas controvérsias sobre suas verdadeiras raízes e, ainda hoje, tem um certo grau de incerteza quanto à existência ou não, por ser tão desejado passou a ter edições abundantes, causando então a baixa credibilidade do assunto. Portanto, embora tenha provavelmente capturado algo da mente de Salomão em algumas edições, A Chave de Salomão já é um livro no qual, como em muitos outros pilares do oculto, da fantasia, que ingenuamente continuam a passar a ideia do livro para frente, contando sobre a forma do mundo real entrar em contato com as forças espirituais.

Para a estrutura temática do livro, ele é dividido em dois volumes. No primeiro volume há maldições, encantamentos, invocações e selos para controle de chamadas de espíritos demoníacos ou pedido de espíritos de luz. Os processos são bem definidos e alcançados através destas entidades na vontade do feiticeiro; Há também revelações de objetos escondidos para encontrar tesouros, os métodos para encontrar o amor, ou até mesmo para conseguir a invisibilidade. Já o segundo volume nos diz como realizar exorcismos, como desenvolver e construir itens mágicos e que tipo de animais ou coisas devem ser sacrificados aos espíritos.

A Chave de Salomão sempre invoca a Deus para pedir proteção, e até mesmo, em determinados períodos indica que, depois de terminar, confesse seus pecados na igreja. Também o Grimório usado em muitos dos sinais do alfabeto oculto, mostra algumas sincretismo, muitas vezes usados ​​como nomes bárbaros, nomes árabes e até mesmo nomes derivados de textos mágicos do Israel.

E de onde vem isso?

De acordo com muitos estudiosos, o verdadeiro autor de A Chave de Salomão era um mágico chamado Antonio Venetian, rabino. No entanto, é certo que, pelo menos na maior parte, o rabino Antonio não inventou o texto. Existem dados de fontes da veracidade de sua afirmação de que ele escreveu a peça baseada em textos do Rei Salomão. Voltando ao passado, vemos que talvez Antonio rabino estava errado, porque, segundo o professor Marinus Gout Universidade de Deft (Países Baixos), Salomão não só não escreveu nenhum livro do Velho Testamento, mas também escreveu o famoso Testamento de Salomão, ou, A Chave de Salomão. Para Marine Gout, A Chave de Salomão foi escrito pela primeira vez no primeiro século.

A lenda

O próprio Adolf Hitler teria perseguido as ciências ocultas, convencido de que era a chave para dominar o mundo e ter poderes supremos. É que, de acordo com um grande estudioso Nicetas Coniates, quem possui esse testamento de Salomão conquistará o mundo.

Segundo a lenda, A Chave de Salomão surgiu a partir da visita que um anjo fez a Salomão. Durante essa visita, é dito que o anjo deu a Salomão todos os tipos de conhecimento mágico (incluindo necessário para dominar demônios), conhecimento, e em seus últimos dias, Salomão escreveu em alguns livros para passar o conhecimento para seu filho. Porém, infelizmente um fogo exterminou todos aqueles livros com exceção de dois: o Testamento de Salomão e o  Chave de Salomão.

Há um manuscrito das Clavículas na Biblioteca Nacional de Paris, que está escrito << Todo o Universo tem sido conhecido, até hoje, que, desde tempos imemoriais, Salomão estava de posse de todas as ciências infundidos através dos preceitos sábios e os ensinamentos de um anjo, que pareciam tão submisso e obediente, além do dom da sabedoria para perguntar, venceu, não sem admiração, qualquer outro tipo de virtudes. Tudo o que fez que Salomão chegando ao fim de seus dias, ele estabelecer seu filho, por sucessão, através de um testamento que continha todas as ciências para usar e utilizar até o dia de sua morte. Rabinos que, depois dele, guardam zelosamente este testamento, nomeou o último de Clavículas de Salomão, o nome pelo qual eles fizeram gravar um livro feito de casca de cedro, onde Ouros aparece em caracteres hebraicos e placas cobre, a fim de ser preservada para a posteridade e eternidade  >>

Os métodos para se comunicar com entidades superiores. Em sua grande maioria, o texto é composto por gravuras geométricas, voltadas para um determinado tipo de ritual e parecidas com as mandalas budistas.

Fontes para isso tudo, você encontra nesses links. 1234567 – 8

livro

Loading...